Domingo, 31 de Outubro de 2010

O défice de que (quase) ninguém fala

Há, em Portugal, um défice sobre o qual pouco se fala, com excepção do PCP. Trata-se da dimensão daquilo que compramos no estrangeiro, sob a forma de importações.

Se desagregarmos as importações pelos grandes ramos de actividade verifica-se um dado extremamente importante. Mais de 90% diz respeito aos sectores produtivos na área da agricultura, da produção animal, das pescas, da indústria extractiva e da indústria transformadora.

Mas se nos restringirmos às rubricas de produção agrícola e produção animal, de pescas e de produtos alimentares, bebidas e tabacos a situação é inimaginável. Importámos em 2009 mais de 10 mil milhões de euros (mais de 6% do PIB de Portugal)!!!

Importamos, ano após ano, 80% daquilo que comemos! Isto num país que precisa de produzir cerca de 1,5 milhões de toneladas em frutas e legumes, tendo em conta uma alimentação minimamente saudável da sua população. Anos há, pasme-se, em que o nosso défice alimentar supera em milhões de euros o défice energético.

Estamos perante uma das maiores monstruosidades do exercício político do PS e PSD. Temos de importar os produtos necessários à nossa alimentação, obrigando cada família a despender no estrangeiro cerca de 2050 euros por ano.

Estamos perante um défice sistematicamente silenciado. O que só é explicável pelo complexo de culpa de quem (PS e PSD) levou à destruição de um sector cuja importância estratégica só não vê quem não quer.

Neste contexto é quase criminoso que o Ministério da Agricultura vá sofrer um corte nas verbas inscritas no Orçamento de Estado (OE) para 2011 na ordem dos 11% (de 1271M€ para 1129M€). E coloca também a necessidade do Ministro da Agricultura justificar a razão de não ter utilizado mais de 425M€ (cerca de 33% da verba aprovada), que estavam inscritos no OE para 2010. E que, assim, ficaram por utilizar na agricultura portuguesa e no apoio aos agricultores.

A resposta do sector tem sido clara. Cerca de quatro mil Agricultores concentraram-se na quarta-feira, 20 de Outubro, na abertura da AGROVOUGA, em Aveiro. O seu objectivo: reclamar ao Ministro da Agricultura e ao Governo melhores políticas para a Agricultura Familiar.

Foi uma grande concentração. A maior de sempre desde que os Agricultores se manifestam na AGROVOUGA. Assumiu uma dimensão que expressa bem a preocupação e o descontentamento dos Agricultores face às más políticas que sucessivamente os empurram para graves dificuldades.

Especialista em Sistemas de Comunicação e Informação

In "Jornal do Centro" - Edição de 29 de Outubro de 2010

-

sinto-me:
publicado por António Vilarigues às 00:01
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De geacieterietsch a 31 de Outubro de 2010 às 01:47
Como podemos aumentar o PIB e diminuir o défice se a UE onde estamos inseridos e à qual temos que prestar contas, o impede para que possamos importar os seus produtos provavelmente excedentes?

Aumentar a produção é imperativo.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Como podemos aumentar o PIB e diminuir o défice se a UE onde estamos inseridos e à qual temos que prestar contas, o impede para que possamos importar os seus produtos provavelmente excedentes? <BR><BR>Aumentar a produção é imperativo. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Produzir,produzir,produzir</A> deverá ser uma das nossa batalhas. <BR><BR>Um beijo.
De geacieterietsch a 31 de Outubro de 2010 às 01:53
Não sei como errei nem sei corrigir o erro. Fica a ideia.

Um abraço.
De António Vilarigues a 1 de Novembro de 2010 às 19:09
Sem problemas.
Um beijo
De Anónimo a 4 de Dezembro de 2010 às 14:41
António Vilarigues, antes de mais peço-te desculpa por um comentário tão atrasado, mas fiz uma pesquisa no google e vim aqui parar. Tenho-me preocupado com esta questão do nosso défice alimentar (e da nossa soberania alimentar) e ando ultimamente empenhado em corrigir uma imagem grosseiramente errada na cabeça de muita gente progressista.

De acordo com os números mais recentes do INE (Estatísticas do Comércio Internacional 1993-2009, editado em 2010, quadros 7 e 8, pp. 96-97), o valor das nossas importações no domínio agro-alimentar em 2009, num valor provisório, significativamente inferior ao que referiste, foi de 7.481 milhões de euros (o das exportações, também provisório, foi de 3.655 milhões, pelo que o défice comercial externo neste sector em 2009 foi de 3.826 milhões).

Este é sem dúvida um défice muito negativo e gravoso. Revela bem que Portugal não consegue assegurar o seu auto-abastecimento alimentar.

O que não se pode é concluir daqui que “importamos, ano após ano, 80% daquilo que comemos”. Isto não é de maneira nenhuma verdade, nem de perto nem de longe. Na verdade, é mais ou menos ao contrário, nós produzimos cerca de 80% daquilo que comemos.

Não se pode confundir a taxa de cobertura das importações pelas exportações, que é muito baixa (e poderia legitimar aproximadamente a percentagem que referiste), com o grau do nosso auto-aprovisionamento, que dá a verdadeira dependência externa do país no domínio agrícola e alimentar.

A esmagadora maioria da produção agrícola e das indústrias alimentares nacionais é consumida internamente. Apenas como indicador, basta referir que, em 2006, apenas se exportou 19,8% da produção da nossa indústria alimentar e 6,6% da nossa produção agrícola ("Agricultura, Silvicultura e Pesca / Indicadores 2009", do Gabinete de Planeamento e Políticas do Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, p. 48).

É evidente que considerando apenas a pequenina parcela da produção nacional que é exportada, não seria difícil concluir que importamos a maior parte ou mesmo quase tudo o que comemos. Mas isto não tem nada a ver com a realidade e corresponde simplesmente a desprezar o grande grosso da produção nacional, que é consumida internamente no país.

Ao contrário de uma imagem distorcida e muito errada, o grosso do consumo alimentar nacional é assegurado pela produção interna (na ordem dos 80%). O que não é contraditório com o facto de termos, nesta área, um défice comercial externo gravosamente negativo (comparando apenas o que entra e sai do país). Mas a situação já é suficientemente má para necessitar de ser agravada em palavras.

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 27 seguidores

.pesquisar

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. VISEU: Apresentação do li...

. Roteiro Antifascista: É p...

. O atrevimento da ignorânc...

. Manifestação 10 de Julho ...

. Manifestação 10 de Julho ...

. Autarcas querem a regiona...

. Qual o país que conseguir...

. Donald Trump = 62 984 825...

. João Ferreira 1.º candida...

. Roriz 2019

.arquivos

. Novembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Julho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. álvaro cunhal

. assembleia da república

. autarquia

. avante!

. bce

. benfica

. blog

. blogs

. câmara municipal

. capitalismo

. caricatura

. cartoon

. castendo

. cds

. cdu

. cgtp

. cgtp-in

. classes

. comunicação social

. comunismo

. comunista

. crise

. crise do sistema capitalista

. cultura

. cultural

. democracia

. desemprego

. desenvolvimento

. desporto

. dialéctica

. economia

. economista

. eleições

. emprego

. empresas

. engels

. eua

. eugénio rosa

. exploração

. fascismo

. fmi

. futebol

. governo

. governo psd/cds

. grupos económicos e financeiros

. guerra

. história

. humor

. imagens

. imperialismo

. impostos

. jerónimo de sousa

. jornal

. josé sócrates

. lénine

. liberdade

. liga

. lucros

. luta

. manifestação

. marx

. marxismo-leninismo

. música

. notícias

. parlamento europeu

. partido comunista português

. paz

. pcp

. penalva do castelo

. pensões

. poema

. poesia

. poeta

. política

. portugal

. precariedade

. ps

. psd

. recessão

. revolução

. revolucionária

. revolucionário

. rir

. salários

. saúde

. segurança social

. sexo

. sistema

. slb

. socialismo

. socialista

. sociedade

. sons

. trabalhadores

. trabalho

. troika

. união europeia

. vídeos

. viseu

. vitória

. todas as tags

.links

.Google Analytics

blogs SAPO

.subscrever feeds