Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Pensamento de 31 de Agosto de 2008

    Nem é preciso ir mais atrás, a vida política desta primeira década do século XXI mostra bem o fracasso de uma política e das recorrentes soluções governativas assentes nessa cíclica troca entre PS e PSD com ou sem CDS-PP.

                                                                                                  

Festa do «Avante!» 2008 - Programa Auditório 1º de Maio

                                                        

    A Festa do Avante! é feita de muitas músicas e de muitos palcos, abrangendo variadas expressões musicais, das mais populares às mais vanguardistas. Centenas de artistas, profissionais e amadores, estão envolvidos nos espectáculos que os visitantes da Atalaia têm à sua disposição.

Auditório 1º MAIO

 
Sexta-feira
Sábado
Domingo
14:30
 
Skalibans
Faith Gospel Choir
15:30
Fado Morse
Mu
16:30
Navegante
com AméliaMuge,Mimo Epifani (Itália), João Afonso, Rui Júnior e Ttukunak (P. Basco)
Xaile
18:00
Tucanas
 
19:00
Krissy Mathews
19:30
 
André Fernandes Quarteto com Mário Laginha
20:00
Chad Dughi
 
20:30
 
David Binney Quintet com Mark Turner
21:00
André Cabaço
Telectu com Jonas Runa e Steve Noble
 
22:00
Eneida Marta
Júlio Resende Quarteto
23:00
Tabanka Djaz
Pedro Jóia
0:00
 
Camané

                             

                                                             

Ver AQUI todos os espectáculos

                                                                 

Férias e rentrées

Texto Manuela Bernardino

     A comunicação social dominante alimentou-se e alimentou os seus leitores, durante o último mês e meio, das férias dos políticos, dos gestores, do jet-set português e foi especulando – pelo que difundiu e pelo que omitiu – sobre as actividades dos diferentes partidos e respectivas rentrées.

O que projectou neste período – e como projectou – põe claramente em evidência ao serviço de quem estão os principais órgãos de comunicação social que procuraram desviar as atenções e iludir as questões de fundo com que os portugueses se debatem, entre as quais as próprias férias que, para além dos capitalistas e dos que no poder defendem os seus interesses, estão cada vez mais limitadas aos que têm emprego fixo e, mesmo quanto a estes, aos que auferem salários que lhes permitam um efectivo gozo de férias.

Durante este período, a «informação» acentuou o seu conteúdo de classe. Sabendo-se a menor ou mais superficial atenção que se lhe dá em férias, a comunicação social transformou este ano, mais ainda do que é habitual, a notícia em propaganda. Particularmente em relação à acção do Governo que, garantindo ainda há pouco tempo estar Portugal imune à crise, foi agora obrigado a vir a terreiro escusar-se com a crise internacional; ou em relação à mistificação da diminuição do desemprego ou da inauguração do call center de Santo Tirso; ou, ainda, a justificação para a última fase de reprivatização da Galp, alienando ao grande capital posições que o Estado ainda detinha nesta empresa de interesse nacional estratégico.

                                                                                                            

Ler Texto Integral

                                     

Colômbia: 40 sindicalistas assassinados em 2008

    Com o assassinato do vendedor de lotaria José Omar Galeano Martínez, presidente nacional da Federação Colombiana de Vendedores de Lotarias (Fecoloc, na sigla em castelhano), ocorrido no passado sábado 22 de Agosto na cidade de Buga, eleva-se a 38 o numero de sindicalistas (34 homens e quatro mulheres - ver AQUI a lista nominal completa) que este ano perderam a vida violentamente na Colômbia, segundo dados da Escola Nacional Sindical (ENS). 

No próprio dia, 24 de Agosto, em que este estudo foi divulgado mais dois sindicalistas foram assassinados em simultâneo em Santa Marta e Barranquilla.  

Recorde-se que durante todo o ano de 2007 foram mortos 39 sindicalistas.

Para a comunicação social dominante em Portugal (e para uma certa blogosfera) o facto de mais de metade dos sindicalistas assassinados em todo o mundo o serem num só país, a Colômbia, continua a não ser notícia....

                                                     

Os silêncios de chumbo continuam. Até quando?

                                       

Pensamento de 30 de Agosto de 2008

  Há quem pretenda convencer que na sua prática política as quatro vertentes são separáveis. Há partidos que se afirmam grandes defensores da democracia política e ao mesmo tempo defendem – e quando no governo promovem – o domínio e o poder dos grandes grupos monopolistas e a liquidação de direitos e liberdades dos trabalhadores.

                                                         

Festa do «Avante!» 2008 - Programa Palco 25 de ABRIL

                                                        

     A Festa do Avante! é feita de muitas músicas e de muitos palcos, abrangendo variadas expressões musicais, das mais populares às mais vanguardistas. Centenas de artistas, profissionais e amadores, estão envolvidos nos espectáculos que os visitantes da Atalaia têm à sua disposição.

Palco 25 de ABRIL

 
Sexta-feira
Sábado
Domingo
14:30
   
Terrakota
15:00
X-Wife
 
15:30
 
Wraygunn
16:00
Mind Da Gap
 
16:30
 
Moncada (Cuba)
17:00
Galandum Galundaina e Toques do Caramulo
 
17:30
 
18:00
Comício
18:30
Kumpania Algazarra
 
19:00
 
19:30
Coal Porters
Big Bang Hot Club
20:00
   
20:30
Nuno Mindelis
Xutos & Pontapés Rock & Roll Big Bang
21:00
Grande Gala de Ópera
   
21:30
Vieux Farka Touré
22:30
Júlio Pereira
23:30
Da Weasel

                                         

                                                       

A Geórgia no contexto da partilha internacional do mundo

Texto de José Paulo Gascão

    A decisão russa de responder à provocação da Geórgia e à incapacidade norte-americana de intervir militarmente não é compreensível sem uma informação completa sobre os novos alinhamentos político militares e a profunda crise económica mundial em desenvolvimento.

Atolado em duas guerras, Iraque e Afeganistão, onde, sem honra nem glória, já perdeu a capacidade de iniciativa, em pleno desenvolvimento de uma crise mundial cujos indicadores são mais graves que os da crise de 1929 e que não se sabe quanto durará, mas onde já se vislumbra claramente o fim do dólar como moeda única de reserva do mundo, com o continente latino-americano em crescente contestação ao modelo neo-liberal e à globalização imperialista, o imperialismo ocidental, particularmente o norte-americano, assistiu ao conflito bélico desencadeado pela invasão Geórgia à Ossétia do Sul, com a sua capacidade de intervenção claramente diminuída.

A Rússia, que já dissera não aceitar o seu afastamento da nova partilha internacional do mundo, respondeu, ao que disse, para proteger as suas forças de manutenção da paz e defender os ossetios da agressão.

Saakashvili, eleito em 2004, com 95% dos votos, necessitava de inverter o declínio da sua imagem interna. A sua popularidade caíra em Janeiro último para 53% e continuou a curva descendente, devido à brutalidade com que reprimia as manifestações de opositores e ao silenciamento das críticas por mais leves que fossem.

Mostrando não ter compreendido a nova realidade e a reacção russa à declaração unilateral de independência do Kosovo em Fevereiro passado, Saakashvili lançou-se, com os resultados que já se estão a ver, numa guerra pela recuperação da Ossétia do Sul, esperando a passividade da Rússia, pela cobertura que supunha ter dos EUA e da UE.

                   

Ler Texto Integral

                           

Ver AQUI e AQUI

                    

Pensamento de 29 de Agosto de 2008

    Tudo parece resumir-se, tal como no passado, à discussão de quem é candidato melhor preparado para ser primeiro-ministro, para retomarem o ciclo da falsa alternativa e da ilusão da mudança. Esse equívoco da democracia portuguesa que alimenta o ciclo vicioso da alternância à volta da mesma política de direita e das mesmas soluções que estão na origem do sistemático atraso do país e da degradação das condições de vida dos portugueses.

                                                                                                       

Louis Aragon - L'étrangère

                                                                                

L'étrangère

                                 

Il existe près des écluses
Un bas quartier de bohémiens
Dont la belle jeunesse s'use
A démêler le tien du mien
En bande on s'y rend en voiture,
Ordinairement au mois d'août,
Ils disent la bonne aventure
Pour des piments et du vin doux

On passe la nuit claire à boire
On danse en frappant dans ses mains,
On n'a pas le temps de le croire
Il fait grand jour et c'est demain.
On revient d'une seule traite
Gais, sans un sou, vaguement gris,
Avec des fleurs plein les charrettes
Son destin dans la paume écrit.

J'ai pris la main d'une éphémère
Qui m'a suivi dans ma maison
Elle avait des yeux d'outre-mer
Elle en montrait la déraison.
Elle avait la marche légère
Et de longues jambes de faon,
J'aimais déjà les étrangères
Quand j'étais un petit enfant !

Celle-ci par là vite vite
De l'odeur des magnolias,
Sa robe tomba tout de suite
Quand ma hâte la délia.
En ce temps-là, j'étais crédule
Un mot m'était promission,
Et je prenais les campanules
Pour des fleurs de la passion

A chaque fois tout recommence
Toute musique me saisit,
Et la plus banale romance
M'est l'éternelle poésie
Nous avions joué de notre âme
Un long jour, une courte nuit,
Puis au matin : "Bonsoir madame"
L'amour s'achève avec la pluie.

                             

Louis Aragon

                                   

Pág. 1/14

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D