Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

CONTRIBUTOS DA COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA O ASSASSINATO DA DEMOCRACIA

    A comunicação social nos nossos dias reproduz como nunca a ideologia dominante. Seja na TV, na rádio ou nos jornais.

Como negócio rege-se pelas leis do lucro. As audiências, ou as tiragens, com as consequentes receitas da publicidade, determinam, em última análise, os seus conteúdos essenciais.

A lei basilar da chamada economia de mercado da concentração e centralização do capital também se manifesta neste sector. A existência de um sector público com peso significativo em vários países atenua, mas não altera significativamente o panorama. As fontes de informação são cada vez mais afuniladas. Uma dúzia de grupos económicos controlam a esmagadora maioria do sector a nível planetário.

Os traços dominantes do que é difundido, ainda que com diferentes matizes, são comuns a públicos e privados. A defesa de que o capitalismo é o fim da história. Que a democracia, tal como a conhecemos, não sendo perfeita, não tem alternativa. A fabricação de factos políticos. A “venda” como notícias de acontecimentos acessórios: escândalos, crimes, desgraças. Os reality show. A vida da chamada alta sociedade apresentada como padrão. A primazia das sondagens, barómetros, estudos de opinião sobre a própria realidade. A ostracização de quem defende vias alternativas.

Mas também o que não se noticia. O que se silencia é, na maior parte das vezes, tão ou mais importante do que o que se publica.

Como, noutro plano, o facto de o volume da informação hoje disponível ser de tal ordem que é correcto afirmar que a “mais informação” raramente corresponde “melhor informação”. O “bombardeamento mediático”, com a televisão à cabeça, em vez de ajudar a compreender melhor o mundo pode conduzir a que as pessoas pura e simplesmente não tenham tempo suficiente para pensar.

A ausência de contextualização do que se noticia, a própria semântica, são igualmente planos onde se manifesta claramente o esforço para a padronização do pensamento.

Os exemplos abundam.

Em 1965 Suharto, na Indonésia, a pretexto de um golpe de estado encabeçado pelo Partido Comunista, desencadeou uma feroz repressão. A BBC, tida como órgão de referência, deu como provado a existência do golpe. A notícia espalhou-se por todo o planeta, contribuindo para a neutralização do protesto de amplos sectores da opinião pública mundial. Três milhões de mortos depois a BBC veio reconhecer que tinha sido manipulada. Apresentou desculpas. Mas os homens, mulheres e crianças, vítimas mortais da repressão, já não podiam receber esse acto de contrição.

Mais perto de nós é conhecida a actuação da TV pública francesa na criação do massacre de Timissoara. Acontecimento, reconhecidamente fabricado, que conduziu directamente ao derrube de Ceaucescu na Roménia. Os responsáveis foram demitidos. Mas, para o bem e para o mal, um regime político tinha sido derrubado com base numa mentira televisiva.

Para não falar na actuação da maioria da comunicação social australiana aquando da invasão de Timor Leste em 1975. Nem o assassinato de jornalistas do seu próprio país a fez arrepiar caminho. Ou dessa novel figura dos correspondentes de guerra “embebidos” nas tropas no Iraque e no Afeganistão

Mas também em Portugal. E muito recentemente.

A forma como a generalidade da comunicação social cobriu as recentes eleições autárquicas são um bom espelho do que afirmamos. Aliás Pacheco Pereira já se referiu duma forma correcta a esta mesma questão em artigo publicado logo após o acto eleitoral.

Fátima Felgueiras teve tempo de antena em directo que mais nenhum candidato logrou alcançar. Vinte minutos. O normal seria passar um resumo dos acontecimentos, com o devido enquadramento. Mas não.  Significativamente nenhum director de informação tirou a senhora do ar. Nem o da R.T.P. A própria comunicação social escrita caiu no mesmo pecado. Dias e dias a fio com direito a títulos de primeira página. E páginas e páginas de prosa.

Estavam em causa candidatos a 308 concelhos de Portugal. Mas até parecia que eram só 10 ou 12 as autarquias em questão. Sempre as mesmas. O resto foi paisagem. Nesta questão falo com conhecimento de causa. No concelho onde fui candidato, Penalva do Castelo, a campanha eleitoral, quer na forma, quer no conteúdo, não se enquadra na fotografia que nos impingiram. E, obviamente, não foi exemplo único.

Pode-se afirmar que cada caso foi um caso. Mas esta diversidade não cabe no retrato das eleições que nos quiseram fazer crer. Valeu tudo. As tiragens e as audiências podem ter aumentado. As receitas também. Mas a democracia saiu a perder.

A difusão de sondagens com pretensos “empates técnicos”, que a realidade das votações mostrou estar a quilómetros da realidade, conduziu, nalguns casos, a movimentações significativas do eleitorado. Ao difundi-las como verdade absoluta o que pretendem os órgãos de comunicação social? Contribuir para o alheamento dos eleitores? Manipulá-los? É verdade, já me esquecia, as sondagens nunca se enganam. A realidade é que insiste em desmenti-las.

A comunicação social tem contribuído, voluntária e involuntariamente, para a menorização da democracia. O que não invalida, antes releva, a outra face da moeda. Tudo é dialéctico...

Nota: Não é só Cavaco Silva que tem de ter cuidado com os seus apoiantes. Manuel Alegre também. Há uma dúzia de anos EPC (Eduardo Prado Coelho) já nos tinha surpreendido com a peregrina tese de que não eram as suas análises da realidade portuguesa que estavam incorrectas. Não. A realidade é que se enganava!

Agora ficámos a saber que os comunistas portugueses foram os responsáveis pela edificação das sociedades nos países do leste da Europa no pós II Guerra. É a fábula do lobo e do cordeiro na versão de Coelho: “Se não fostes tu, foi o teu pai”. Brilhante. Para EPC os comunistas é que são o perigo para a democracia em Portugal. Cavaco e seus apoiantes não. Estamos esclarecidos. Manuel Alegre que se cuide...
 

Especialista em Sistemas de Comunicação e Informação

 

In jornal "Público" - Edição de 5 de Dezembro de 2005

 

sinto-me:
publicado por António Vilarigues às 00:32
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 27 seguidores

.pesquisar

.Julho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Manifestação 10 de Julho ...

. Manifestação 10 de Julho ...

. Autarcas querem a regiona...

. Qual o país que conseguir...

. Donald Trump = 62 984 825...

. João Ferreira 1.º candida...

. Roriz 2019

. Porquê agora a Venezuela?

. Ingredientes de uma campa...

. A operação lançada contra...

.arquivos

. Julho 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Julho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. álvaro cunhal

. assembleia da república

. autarquia

. avante!

. bce

. benfica

. blog

. blogs

. câmara municipal

. capitalismo

. caricatura

. cartoon

. castendo

. cds

. cdu

. cgtp

. cgtp-in

. classes

. comunicação social

. comunismo

. comunista

. crise

. crise do sistema capitalista

. cultura

. cultural

. democracia

. desemprego

. desenvolvimento

. desporto

. dialéctica

. economia

. economista

. eleições

. emprego

. empresas

. engels

. eua

. eugénio rosa

. exploração

. fascismo

. fmi

. futebol

. governo

. governo psd/cds

. grupos económicos e financeiros

. guerra

. história

. humor

. imagens

. imperialismo

. impostos

. jerónimo de sousa

. jornal

. josé sócrates

. lénine

. liberdade

. liga

. lucros

. luta

. manifestação

. marx

. marxismo-leninismo

. música

. notícias

. parlamento europeu

. partido comunista português

. paz

. pcp

. penalva do castelo

. pensões

. poema

. poesia

. poeta

. política

. portugal

. precariedade

. ps

. psd

. recessão

. revolução

. revolucionária

. revolucionário

. rir

. salários

. saúde

. segurança social

. sexo

. sistema

. slb

. socialismo

. socialista

. sociedade

. sons

. trabalhadores

. trabalho

. troika

. união europeia

. vídeos

. viseu

. vitória

. todas as tags

.links

.Google Analytics

blogs SAPO

.subscrever feeds