Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Eleições nos EUA: Kentucky e Oregon

    Já foram contados 100% dos votos de Kentucky e perto de 70% dos de Oregon. É 1h e meia do dia 21. Aí são 6 e meia da manhã e muita gente já se levantou para ir trabalhar. Confirmam-se as previsões: vitórias confortáveis para Clinton (em Kentucky) e Obama (em Oregon).

Confirma-se o que já vos tinha dito anteriormente: Obama, neste momento, já tem a maioria absoluta de delegados eleitos.
Prevejo que nos próximos dias (ou nas próximas horas?) um número elevado de superdelegados ainda uncommited declarem o seu apoio a Obama. Se esse número for significativo, poderá acontecer que, ainda antes do fim do mês, Obama consiga a maioria absoluta do total de delegados (eleitos e superdelegados).
No dia 31 deste mês haverá uma reunião decisiva da Direcção do Partido Democrático para deliberar o que fazer com os delegados de Michigan e Florida.
No dia 1 de Junho haverá Primárias em Puerto Rico. Prevê-se uma vitória de Clinton. Como nota informo que, nas eleições presidenciais de 4 de Novembro, só haverá processos eleitorais nos Estados (50 + a capital, District of Columbia, Washington DC). Isso significa que, em Novembro, não haverá eleições em: American Samoa, Democrats Abroad (obviamente), Guam, Puerto Rico e Virgin Islands.
No dia 3 de Junho haverá Primárias em Montana e South Dakota. Prevêem-se duas vitórias de Obama.
Em princípio, no dia 4 de Junho, tudo estaria acabado em matéria de Primárias, haveria um candidato nomeado e apoiado por todo o Partido Democrático e deveriam começar a sério a campanha para as eleições de Novembro...
Mas...
    Pode acontecer que, se a solução encontrada para Michigan e Florida não agradar aos Clinton, esta continui a contestar os resultados e a exigir: a) que os votos já registados anteriormente contem; b) ou que se realizem novos actos eleitorais nestes Estados.
Pode acontecer que os Clinton leve esta "batalha" até à Convenção.
Tudo isto poderá fazer parte da sua estratégia de conseguir que McCain ganhe em Novembro, para, daqui a 4 anos, aparecer novamente na corrida para a nomeação e, entretanto, ter "arrumado" politicamente com o Obama (o derrotado).
Também pode significar que eles continuam a esperar (e a desejar?!) que "qualquer coisa aconteça" à candidatura de Obama (por exemplo, ele sofrer um qualquer acidente ou outra coisa que, agora, não me permito a escrever, mas que já sugeri em anteriores e-mails). A candidatura repete este argumento... um "pode ser que aconteça alguma coisa entretanto..." (!!!???)
"A família Clinton não desiste" é uma frase que temos ouvido aos próprios, a apoiantes, a jornalistas (republicanos e próximos).
Hoje, no discurso pronunciado em Kentucky, a Clinton afirmou que o Partido estaria unido em torno do nomeado, "independentemente de quem ela fosse". Isto significa que ela deseja um Partido unido, desde que seja ela a candidata. Isto significará, também, que ela não se importará de "partir a loiça no próprio Partido Democrático" para conseguir concretizar a ambição da sua vida, o seu objectivo final: ser eleita Presidente dos EUA, se não agora, em 2012.
Hoje na CNN, no meio de uma discussão em torno da possibilidade de ela poder vir a ser candidata a Vice-Presidente (!?), uma comentadora dizia "Os Clinton gostam, fundamentalmente, de uma coisa: o Poder!"
Para que ela "conquiste o Poder" em 2012 é necessário que Obama perca as próximas eleições de Novembro. Porque se ele ganhar, o sonho poderá ficar irremediavelmente enterrado. 2016 é muito longe e muita coisa irá acontecer...
O factor raça (ou racismo) continua a prevalecer na sociedade americana, principalmente nos Estados com população mais idosa, menos letrada e mais religiosa. São os casos de Pennsylvania, Indiana ou Kentucky. Este factor tem sido salientado, ultimamente, pela própria Clinton e por alguns dos seus seguidores, para justificar, segundo eles, a maior "elegibilidade" desta candidatura. "Tenho tido o voto dos trabalhadores brancos..." dizia ela, depois da Pennsylvania. É um argumento que tem sido utilizado para influenciar os superdelegados mas que, a prazo, prejudicará o Partido Democrático e o seu candidato, na medida em que será utilizado pela candidatura McCain.
    Tem sido curioso verificar que os ataques que a candidatura McCain tem dirigido a Obama, são, essencialmente, os mesmos que a Clinton utilizou, com a vantagem de poder sempre argumentar que "foi a sua companheira de Partido que o disse"...
A hipocrisia e o cinismo continuam. Não percam os próximos episódios!...
                                
Fernando
               

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D