Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

China: Guerra de propaganda

China A União faz a força_Mário Cruz Agência L

«A União faz a força» Foto Mário Cruz/Agência Lusa

«(...)

A China está a desenvolver um amplo conjunto de acções de solidariedade e cooperação, enviando profissionais de saúde, testes, ventiladores, máscaras ou fatos protectores, a mais de 90 países.

Entre outros exemplos, a China partilhou o seu protocolo de diagnóstico e tratamento com 180 países e mais de 10 organizações internacionais, peritos chineses celebraram 30 vídeo-conferências com especialistas homólogos de 100 países, e foram enviados, até ao momento, médicos para o Irão, Iraque, Itália, Sérvia, Venezuela ou Camboja, assim como grupos de especialistas para outros países.

(...)

Face à acção e ao papel da China no combate à COVID-19, seja no plano nacional, seja no plano internacional, os sectores mais reaccionários e anticomunistas, têm intensificado a guerra de propaganda contra a China, em que a Administração Trump assume a dianteira com particular ferocidade, talvez para esconder a sua responsabilidade na ausência de resposta adequada ao surto epidémico no seu próprio país.

Uma guerra de propaganda que utiliza a mais baixa injúria para tentar decretar a estigmatização e a responsabilização da China pelo surto epidémico – recorde-se a xenófoba utilização por Trump da expressão «vírus chinês» para referir o novo coronavírus –, e depreciar e esconder a solidariedade e a cooperação da China com outros países no combate ao surto epidémico.

Fingindo ignorar as interrogações que se colocam sobre as origens do vírus e as análises daqueles que, incluindo nos próprios EUA, colocam a possibilidade da COVID-19 ter surgido inicialmente neste país, Mike Pompeo – secretário de Estado norte-americano e antigo director da CIA –, doutrina aos servis e aos incautos do mundo que o Partido Comunista da China é a «ameaça número um dos nossos tempos».

No entanto, a evolução da situação em cada país, o combate à pandemia e o papel nela desempenhado pela China, têm contribuído para desmascarar a guerra de propaganda promovida pelos EUA (e também papagueada pelos seus serviçais em Portugal). EUA que, no actual contexto de emergência sanitária mundial, não têm pejo em manter e intensificar o bloqueio contra Cuba e as sanções ilegais contra outros países, como o Irão, a Síria ou a Venezuela, dificultando-lhes intencionalmente e de forma criminosa o acesso a medicamentos e a equipamentos médicos.

Exemplos da guerra propagandística contra a China não faltam, incluindo em Portugal. Face à operação contra a China desenvolvida por órgãos de comunicação social no Reino Unido, um porta-voz da embaixada chinesa neste país realçou que as infundadas e falsas notícias difundidas ignoram por completo os enormes esforços e sacrifícios realizados pela China e o seu povo na luta contra a epidemia e negam a significativa contribuição do seu país para a defesa da saúde noutros países. Recordou que, após o aparecimento do surto de COVID-19, a China rapidamente identificou o patogénico do vírus, partilhou a sua sequência genética com a OMS e adoptou todas as medidas adequadas para conter a propagação da doença. Além disso, a China partilhou a sua experiência e ofereceu assistência a mais de 120 países, incluindo o Reino Unido. Em vez de distorcerem e difamarem os esforços e as contribuições da China, o diplomata chinês apontou que os órgãos de comunicação social deveriam abandonar a sua arrogância e preconceitos e ver objectivamente os esforços e resultados da China na luta contra a COVID-19 e na ajuda a outros países.

O mundo tem os olhos postos na China. A sua capacidade para ultrapassar dificuldades criadas pelo surto da COVID-19 à sua economia é da maior importância, não só para o povo chinês – com a concretização dos objectivos de desenvolvimento apontados pelo Partido Comunista da China e o Governo chinês –, mas também para a economia mundial. Reconhecer, como a Organização Mundial de Saúde reconheceu, o papel decisivo da República Popular da China para combater e derrotar o surto epidémico, e desenvolver acções de solidariedade e cooperação no plano internacional – incluindo com Portugal – é da mais elementar seriedade e justiça.»

Sublinhados meus

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D