Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Agendamento potestativo do PCP

   O Grupo Parlamentar do PCP anunciou hoje, em conferência de imprensa na AR, o tema do seu Agendamento Potestativo para 26 de Junho e que passa pela apresentação de "um conjunto de sete medidas indispensáveis e urgentes para atacar a crise, a concretizar em diversas iniciativas", "que correspondem a necessidades prementes e inadiáveis e que têm efeito imediato nas condições de vida da população e também na economia".  

                               

A situação de crise que o país atravessa é verdadeiramente excepcional na sua dimensão e gravidade. Em resultado de uma política que agrava as desigualdades, que compromete o crescimento e o desenvolvimento, que promove o desemprego e a precariedade, a grande maioria dos trabalhadores e da população enfrenta hoje sérias dificuldades. Enquanto isso os mais ricos e os grandes grupos económicos continuam a aumentar os seus lucros à custa de uma maior exploração e de uma maior apropriação da riqueza produzida.
A alteração profunda desta situação exige uma ruptura com as políticas de direita seguidas há décadas e acentuadas por este Governo e uma inversão estrutural das suas orientações. Sem abdicar da necessidade dessa alteração de fundo, é indispensável que no imediato se enfrente a gravíssima situação social que vivemos e se tomem medidas urgentes para apoiar os trabalhadores, os idosos, as famílias e em geral os sectores mais afectados por esta política.
Por isso o PCP apresenta um conjunto de sete medidas indispensáveis e urgentes para atacar a crise, a concretizar em diversas iniciativas a agendar conjuntamente, que correspondem a necessidades prementes e inadiáveis e que têm efeito imediato nas condições de vida da população e também na economia.
1- O aumento geral dos salários, designadamente do salário mínimo nacional, que inclua um aumento intercalar para os trabalhadores da administração pública, correspondente à recuperação da perda de poder de compra ocorrida este ano, de acordo aliás com as promessas do Primeiro-ministro.
2- O aumento extraordinário das pensões de forma a que as pensões mais baixas progridam em 2008 pelo menos 4% e as intermédias acompanhem o aumento previsível da inflação.
3- A alteração dos critérios para a atribuição do subsídio de desemprego no sentido de reverter a restrição imposta pelo governo, que leva a que a maioria dos desempregados não tenham acesso ao respectivo subsídio.
4- A aplicação de medidas com vista à diminuição dos preços dos combustíveis, designadamente com a criação de um imposto sobre os lucros especulativos das petrolíferas, e ao apoio a importantes sectores económicos especialmente penalizados por estes aumentos, tal como já anunciado no projecto de resolução do PCP sobre esta matéria.

5- A garantia do congelamento dos preços dos títulos de transporte, para além dos passes sociais, através da concretização da utilização do gasóleo profissional anunciada pelo Governo e que tarda a concretizar-se.
6- O estabelecimento de um preço máximo para 2008 num conjunto de bens essenciais básicos alimentares e de higiene.
7- A contenção do aumento custo dos empréstimos actualmente existentes à habitação através da orientação accionista do Estado para a Caixa Geral de Depósitos no sentido de praticar um spread máximo de 0,5% nos empréstimos à habitação, com o consequente efeito de arrastamento no mercado, equacionando igualmente o eventual recurso a medidas de apoio ao nível do endividamento das famílias com mais baixos recursos.

(sublinhados meus)

Adenda às 18h09m: Propostas irrealistas? Ainda e sempre o atrevimento da ignorância!

Estão AQUI devidamente fundamentadas.

E este dado diz-vos alguma coisa: «A parte dos salários no rendimento nacional, que atingiu os 59% em 1975, era de 40% em 2004.». E continua a descer.

Eu explico devagar. O PIB não cresce e os lucros dos grandes grupos económicos e das grandes fortunas de Portugal aumentam muito acima dos 20% ao ano. Isso significa que, havendo quase o mesmo dinheiro, se alguns ficaram com uma fatia maior os restantes (a imensa maioria) ficou com uma parte mais pequena do bolo (o PIB).

 

Tão simples quanto isso...                                       

                                                 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D