Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Leitura Obrigatória (CXLIV)

     Ascensão (Vassil Bikov)

Dois guerrilheiros soviéticos, que combatem na retaguarda das tropas alemãs na Segunda Guerra Mundial, são presos pelos nazis e torturados, colocando-se-lhes a alternativa: tentar salvar a vida traindo, denunciando os seus camaradas, ou assumir inteiramente as responsabilidades da sua luta, e morrer. Colocando as duas personagens centrais de Ascensão nesta situação limite, o autor, Vassil Bikov, analisa o percurso paralelo de dois homens: um, o da degradação moral, tão profunda que termina no auto-aniquilamento físico; o outro; o caminho heróico da afirmação da dignidade humana mesmo à custa da própria vida.

Vassil Bikov é um conhecido escritor soviético.

Obras suas estão traduzidas em inúmeras línguas.

Em 1974 foi-lhe atribuído na URSS o Prémio de Estado de literatura. De Ascensão foi feito um filme que obteve em Portugal o apoio unânime da crítica.

                                                                                                         

In Edições «Avante!»   

                                          

Leitura Obrigatória (CXXXIV)

    Sem tréguas (Giovanni Pesce)

Giovanni Pesce, comunista, resistente da primeira hora, conta neste livro a história empolgante e comovente dos GAP – Grupos de Acção Patriótica – que, de armas na mão, foram um dos pontos mais altos da resistência ao ocupante nazi e aos traidores fascistas nas cidades do Norte da Itália.

Esta história é, realmente, uma história das grandes aventuras em que o homem dá o melhor de si próprio inserindo-se na luta mais geral de todo um povo, ainda que actue em pequenos grupos ou até sozinho.

O autor escreve todos os espantosos acontecimentos de que foi testemunha ou protagonista com um rigor e uma contenção que fazem deste livro também uma obra literariamente perfeita.

E recorda, muitas vezes, alguns episódios dramáticos e decisivos da Guerra de Espanha.

Em suma, este é um livro de grande riqueza humana, de uma surpreendente variedade de situações e de um profundo sentido político.

Um livro que, além de mais, prende firmemente o leitor.
                                                                                                         

In Edições «Avante!»   

                                                                                                               

Leitura Obrigatória (CXXXI)

     Um Dia e uma Noite (Jean Sanitas)

Um Dia e Uma Noite é um romance, mas um romance escrito com factos rigorosamente verídicos e com protagonistas bem reais. Pode-se dizer que é um testemunho romanceado da vida dos Franceses durante a ocupação nazi, que submergiu a França de 1939 a 1944, dos métodos da Gestapo e da coragem e tenacidade dos resistentes que nunca se deixaram vencer. 

O autor entrelaça num dia e numa noite acontecimentos autênticos que se desenrolaram num tempo bastante mais largo. Ele próprio – com dezasseis anos – viveu o calvário dos interrogatórios que tão cruamente narra, e soube encontrar a força de resistir. Entrelaça também, como que numa montagem de sequências cinematográficas, dramas e lutas que se passam em locais diferentes e que convergem para nos dar um painel exaltante da dignidade do homem quando colocado em situações extremas. É todo o friso de personagens quotidianas que perante a bestialidade nazi, se elevam à altura da grandeza do momento histórico e preservam um futuro humano. 

Em suma, este livro é um documento impressionante, cheio de aventuras mais ricas de peripécias capazes de prenderem o leitor do que tanta ficção sensacionalista que por aí anda. E aventuras comprovadamente verdadeiras – que não devem ser esquecidas.

                                                                                                                                                              

In Edições «Avante!»

                                                                                             

Leitura Obrigatória (CXXI)

    Reportagem sob a Forca (Julius Fucik)

Julius Fucik nasceu a 23 de Fevereiro de 1903, em Praga, filho de um operário. Aos dezoito anos de idade filiou-se no Partido Comunista Checoslovaco, trabalhando desde jovem como jornalista comunista.

Quando, depois do golpe traiçoeiro de Munique, os reaccionários ocidentais, aliados à nossa burguesia, entregaram a Checoslováquia a Hitler, Julius Fucik não deixou de combater nas fileiras do Partido Comunista clandestino. No dia 24 de Abril de 1942, foi preso durante uma reunião conspirativa em Praga. 

Quando o Exército Soviético vitorioso libertou os prisioneiros do campo de concentração, regressei a Praga. Buscando o meu marido, soube então que fora executado à pressa. Soube também que, na prisão da Gestapo de Praga, Julius Fucik havia escrito em segredo. Pouco a pouco, consegui reunir as folhas do seu manuscrito, trazido secretamente para fora da prisão e guardado pela boa gente Checa. É o livro que Julius Fucik intitulara Testamento Sob a Forca.

Gusta Fucikova

                                     

In Edições «Avante!»  

                            

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D