Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Os 20 anos da Guerra do Golfo

(...)

Se, como o PCP teve oportunidade de afirmar há duas décadas atrás, a violação de resoluções das Nações Unidas e a invasão do Kuwait pelo Iraque eram inaceitáveis, a realidade demonstrou claramente que a estratégia do imperialismo norte-americano em torno da Crise do Golfo não visava a defesa da legalidade internacional e da independência e soberania dos povos do Médio Oriente, mas tão só o desencadear de um conflito militar que servisse os seus interesses económicos e geoestratégicos.

Desencadeada num quadro de recessão da economia norte-americana e de manifestação de contradições inter-imperialistas, nomeadamente no plano económico, a Guerra do Golfo foi inseparável das profundas e trágicas mudanças associadas ao desmantelamento da União Soviética e à liquidação do socialismo no Leste da Europa, tendo sido uma peça fundamental para a concretização, neste quadro, dos confessos objectivos dos EUA de instauração de «uma nova ordem mundial» de domínio hegemónico do imperialismo que, no Médio Oriente, passava e passa pelo domínio dos enormes recursos naturais da região, pelo estrangulamento da luta popular, nacional e progressista dos povos do Médio Oriente e pelo contínuo apoio à criminosa política de Israel contra os povos da região.

Esta autêntica guerra de rapina, desencadeada hipocritamente em nome da legalidade internacional, foi o prelúdio de 20 anos de agressões, invasões e subversões imperialistas em larga escala em que a invasão e ocupação do Iraque em 2003 ocupa lugar de destaque como um dos maiores crimes imperialistas cometidos na História do Médio Oriente que se prolonga até aos dias de hoje.

A agressão ao Iraque em 1991 marcou uma nova corrida armamentista em que pontificaram o desenvolvimento de armas, sistemas e tecnologias militares cada vez mais mortíferas - e inclusive o uso de armas proibidas em conflitos militares - tendo igualmente marcado um salto qualitativo no envolvimento mais directo das potências capitalistas europeias na estratégia de domínio imperialista no Médio Oriente e na adopção de políticas supranacionais no quadro da União Europeia de carácter militarista e federalista, nomeadamente no quadro da chamada «política externa e de defesa comum».

Do Golfo à Jugoslávia, do Afeganistão ao Iraque, ao Líbano e Palestina, o imperialismo procurou nestas duas décadas impor a sua dominação global, assegurar o controlo directo dos principais recursos energéticos mundiais, aniquilar a soberania dos povos e submeter todo o planeta aos interesses de exploração e lucro dos grandes grupos económicos e financeiros. Crimes hediondos, cujos responsáveis continuam inaceitavelmente impunes, foram cometidos contra os povos da região e muito em particular contra o povo iraquiano. Esta ofensiva militarista e belicista alimentou os ataques aos direitos sociais, económicos e políticos dos povos – mesmo nos centros do imperialismo – e agravou as contradições entre potências imperialistas.

(...)

(sublinhados meus)

-

Soldados ocupantes substituídos por mercenários - A falsa retirada do Iraque

Os EUA confirmaram que o número de soldados presentes no Iraque é o menor desde o início da invasão do país, em 2003. O facto está a ser usado como manobra de propaganda com o objectivo de esconder a manutenção de uma força ocupante e a substituição de soldados por mercenários.

A declaração de Barack Obama, anunciando o fim da missão de combate naquele território e o início de «operações contraterroristas» levadas a cabo por uma «força de transição» até à retirada «das tropas norte-americanas em 2011», já havia feito as parangonas no início do mês de Agosto. Mas o que encheu com estrondo as manchetes dos meios de comunicação social dominante foi a confirmação de que os EUA mantinham no Iraque o menor número de soldados desde o início da guerra contra aquele país.

Ler Texto Integral

-

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D