Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

CNE dá razão à CDU: PSD Não pode arrancar em vantagem para as Autárquicas

Logo cne.jpg

CNE dá razão à CDU:

«no que toca à escolha de membros de mesa para as eleições aos órgãos das autarquias locais, não existe qualquer regra de representatividade referente a atos eleitorais anteriores, sendo que todas as candidaturas se encontram em condições de igualdade».

 

CDU Linha Voto 2015

 

Até a UEFA???!!!...

José Manuel Durão Barroso, o novo presidente não-executivo da Goldman Sachs, um dos maiores bancos de investimento do mundo, é há vários anos uma estrela em fulminante ascensão.

Na política portuguesa foi militante do MRPP, líder do Partido Social-Democrata e posteriormente primeiro-ministro de Portugal.

De São Bento voou directamente para o "trono" da Europa para assumir a presidência da Comissão Europeia, cargo que exerceu durante dez anos.

Foi a rampa de lançamento para depois ser convidado para dezenas de funções e cargos diferentes, tanto em universidades prestigiadas, como a de Princeton, como a de instituições globais como a UEFA ou mesmo o exclusivo grupo de Bilderberg, que hoje coordena.

O Corporate Europe Observatory (CEO, na sigla não desprovida de ironia), que analisa as ligações entre as empresas e os seus lóbis ao processo legislativo europeu, contou-os e chegou aos 22 cargos assumidos pós-Bruxelas.

O CEO publicou uma lista de alguns dos cargos assumidos por Durão Barroso nos últimos anos, alguns deles carimbados pela própria Comissão Europeia.

  • Membro do Institute of Public Policy de Belgrado
  • Chairman da UEFA Foundation for Children
  • Professor visitante da Universidade de Princeton
  • Membro do conselho consultivo da McDonough Shool of Business, da Universidade de Georgetown.
  • Membro do conselho internacional da Ópera de Madrid
  • Membro da administração do The Europaeum
  • Membro do Steering Group das Conferências de Bilderberg
  • Actividades no Fórum Económico Mundial
  • Professor honorário do Instituto Politécnico de Macau
  • Membro do conselho consultivo do Women in Parliament
  • Membro honorário da administração da Fundação Jean Monnet para a Europa
  • Seminários e palestras na Universidade Católica de Leuven
  • Professor visitante da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)
  • Eventos com o Speakers Bureau in Londres e Washington
  • Professor visitante da Universidade de Genebra
  • Seminários e palestras na Universidade de Genebra
  • Professor visitante do Graduate Institute of International and Development Studies de Genebra
  • Professor visitante na Universidade da Califórnia
  • Co-Presidente honorário do Centro Europeu para a Cultura
  • Presidente honorário do comité honorário da European Business Summit
  • Presidente emérito do Teneo Leadership Institute da Universidade de Cornell
  • Presidente da Fundação do Palácio das Belas Artes de Bruxelas
  • Professor convidado no Instituto Liechtenstein

O decoro e a boa educação impedem-me de comentar...

 

Há 40 anos, em Portugal - O golpe contra-revolucionário do 25 de Novembro

Pavilhao_desportos_1975-08-14

Desde as primeiras horas do 25 de Abril, à medida que o processo revolucionário avançava, levantaram-se forças saudosistas que, pelos mais diversos meios – sabotagens, campanhas de calúnias e intrigas, boicotes, conspiração, golpes – procuraram a «révanche» fascista.

A seguir ao golpe do 11 de Março, reagindo ao impetuoso avanço antimonopolista da Revolução com o aprofundamento das suas conquistas e procurando paralisar o processo de descolonização já em marcha, a reacção desencadeou uma ofensiva de grandes proporções, que ganhou novo alento após as eleições para a Assembleia Constituinte (25 de Abril de 1975) com o confronto e a ruptura entre o processo eleitoral e a dinâmica revolucionária.

 

A sem vergonhice de Coelho e Portas

  • Há um partido político (PPD/PSD) que enfiou na gaveta o projecto de revisão constitucional de Paulo Teixeira Pinto por medo da reacção dos cidadãos.
  • Há dois partidos políticos (PPD/PSD e CDS-PP) que fizeram campanhas eleitorais baseadas nas omissões e nas mentiras duma forma  desavergonhada.
  • Há dois partidos políticos (PPD/PSD e CDS-PP) que querem governar com base numa revisão constitucional que não foi feita, numa Constituição da República que não existe e num programa eleitoral que não foi sufragado nas urnas.
  • Há um governo que pela terceira vez consecutiva tem um Orçamento do Estado à margem da lei.

Neste contexto há quem tenha o supremo descaramento de acusar o Tribunal Constitucional de «não estar à altura das responsabilidades», de «invadir o campo do legislador», de «tomar uma decisão política (???!!!)»

-

Isto é um crime!

-

Esta era a realidade, na primeira semana de Junho, no terreno camarário situado na recta da Sereia, nas traseiras da casa do senhor João Dimas (fotógrafo). Terreno esse eternamente reservado para Parque Industrial.

A «fossa» tinha, quando foi feita, como medida de comparação, o equivalente a duas retroescavadoras da câmara, lado a lado, de largura. As mesmas duas retroescavadoras, uma em cima da outra, de altura. E as mesma duas retroescavadoras, uma atrás da outra, de comprimento.

Nesta «fossa» estavam (estão?) a ser periodicamente despejadas lamas pelo veículo da cãmara que procede à limpeza de fossas.

-

Estamos, pois, perante mais um crime ambiental cometido conscientemente pelo executivo da Câmara Municipal de Penalva do Castelo.

-

Que se passa com a ETAR de Gôje?

-

Um ano depois a ETAR de Gôje, em Penalva do Castelo, volta a dar que falar.

Este era o líquido (água???) que saía da ETAR na primeira semana de Junho.

Sublinhe-se que a ETAR estava a funcionar (!!!).

-

Alguém (talvez o Presidente da Câmara...) quer esclarecer o que se passa?

-

Que Qualidade de Água Estamos a Beber?

Grande parte dos esgotos do concelho de Penalva do Castelo está a ser lançada, sem tratamento, no rio Dão que alimenta a Barragem de Fagilde. Esta barragem abastece de água potável quatro concelhos: Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo e Viseu. São mais de 150 mil pessoas e a sua saúde que estão em causa!

Para o Partido Comunista Português (PCP) esta situação reflecte uma incúria e uma incompetência inadmissíveis!

Há meses que a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Gôje deixou de funcionar por completo. Desde então os esgotos correm livremente para o rio Dão. Face a esta realidade qual a atitude da maioria PSD e CDS-PP no Executivo da Câmara Municipal?

Esconde a realidade, meses a fio, das populações do concelho de Penalva do Castelo e dos concelhos envolvidos. Só começa a agir quando a notícia chega à comunicação social. Publica um comunicado que não corresponde minimamente à verdade, visto que as trovoadas evocadas para a «avaria» aconteceram já a situação durava há meses! Tenta proibir a recolha de imagens na ETAR. Procura esconder a realidade com a colocação no dia 1 de Julho de uma rede verde plástica espessa toda à volta da ETAR.

Mas no concelho de Penalva do Castelo há outros focos de poluição há muito denunciados pelo PCP e pela CDU. ETARs que não são ETARs. Fossas sépticas que não são sépticas. Fossas a céu aberto. Tudo contaminando os terrenos e as linhas de água que vão desaguar nos rios Dão e Côja.

A qualidade da água da Barragem de Fagilde é um problema que já se arrasta há vários anos. Há anos que o funcionamento da pseudo ETAR de Rio de Moinhos, no Rio Côja é deficiente ou nulo, sem que ninguém ponha cobro ao desmando da Câmara do Sátão. Há anos que a realidade do concelho de Penalva do Castelo é conhecida. E os poderes centrais nada fazem, limitando-se, segundo afirmou à comunicação social o vice-presidente da Câmara de Viseu, a UM (!!!) relatório anual da qualidade da água da Barragem. E a passar umas multas, quando passam.

A Comissão Concelhia de Penalva do Castelo do PCP exige que todos os responsáveis – poder central e autarquias – tomem urgentemente todas as medidas necessárias para pôr, em definitivo, fim a esta situação.

A água é um bem público e a saúde de todos nós um bem demasiado precioso!

Penalva do Castelo, 7 de Julho de 2010
Comissão Concelhia de Penalva do Castelo do PCP

-

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D