Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Um ano depois do início da agressão israelita - Gaza continua devastada

     Um ano depois da operação «Chumbo Fundido», os cerca de 1,5 milhões de habitantes da Faixa de Gaza permanecem encarcerados num território de pouco mais de 40 por 15 quilómetros que apresenta o nível de destruição registado aquando do fim da agressão, a 18 de Janeiro de 2009. Os prometidos 4500 milhões de dólares para a reconstrução doados pela «comunidade internacional» nunca chegaram, o bloqueio israelita em vigor desde 2007 agrava a situação de carência estrema. Oito em cada dez habitantes depende totalmente da ajuda internacional. A imensa maioria (90 por cento) sofre cortes diários de água, luz e gás.

Publicado neste blog:

                                                   

Gaza vista pelos caricaturistas de Rebelión

Enrique Lacoste

Ver também:

adaptado de um e-mail enviado pelo Jorge

                                                                    

O arquipélago da Palestina Oriental

 

«Découverte d’une Cisjordanie transformée en «archipel» par quarante-deux ans de colonisation et de «processus de paix».

Cette carte a été imaginée et produite par Julien Bousac à partir de documents fournis par le Bureau de coordination pour les affaires humanitaires dans les territoires palestiniens occupés et B’Tselem.

Toutes les zones de Cisjordanie aux mains d’Israël ont été transformées en mer

Ler Texto Integral
-
Tradução:

A descoberta de uma Cisjordânia transformada em «arquipélago» por quarenta e dois anos de colonização e de «processos de paz».

Este mapa foi imaginado e produzido por Julien Bousac a partir de documentos fornecidos pelo Gabinete de coordenação para os assuntos humanitários nos territórios palestinianos ocupados e B’Tselem.

Todas as zonas de Cisjordânia nas mãos de Israel foram transformadas em mar.

-

Que Estado palestiniano?

-

adaptado de um e-mail enviado pelo Jorge

-

Genocídio sistemático na Palestina - A barbárie da civilização

Texto José Goulão

    Não podemos falar em rescaldo da tragédia de Gaza porque ela está longe do fim e, sob as bombas israelitas ou sofrendo as agonias da fome impostas pelo bloqueio humanitário, continuam a morrer inocentes naquele pequeno território asfixiado. À luz das bitolas adoptadas em Washington e que se aplicam a todo o mundo, o drama que se vive em Gaza e também em todos os territórios palestinianos, incluindo Jerusalém Oriental, deve ser entendido, porém, como um acto «civilizacional» e «anti-terrorista».

                    

Ler Texto Integral

                                  

Publicado neste blog:

                                                        

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D