Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

O CASTENDO

TERRAS DE PENALVA ONDE «A LIBERDADE É A COMPREENSÃO DA NECESSIDADE»

Penalva do Castelo: Acção CDU

    Ao longo destes quase quatro anos a CDU, apesar de não ter eleitos, interveio publicamente em quase todas as reuniões públicas do de Câmara, levantando múltiplas questões do interesse dos munícipes do concelho.

Também na Assembleia Municipal, apesar de não ter eleitos, a CDU pronunciou-se publicamente no período reservado ao público.

Fê-lo quer em relação aos sucessivos Orçamentos (e as Grandes Opções do Plano), quer no que respeita às Contas e Relatório de Gestão dos Exercícios de 2006, 2007 e 2008.

Mas também sobre o horário das reuniões da Assembleia Municipal incompatível com a presença dos eleitores, já que às 14h30m estão quase todos a trabalhar. Ou sobre o PDM, as zonas industriais, as obras no centro da vila, os subsídios, o abastecimento de água, o saneamento básico, a recolha do lixo e as ETAR.

Ou, ainda, sobre os transportes escolares a serem efectuados totalmente à margem da lei, as construções que avançam ainda antes dos loteamentos estarem aprovados, o loteamento industrial adquirido a preços acima dos de mercado, os lotes camarários vendidos a preços exorbitantes. Mas também sobre as embrulhadas com o património, a protecção civil, a segurança rodoviária, o regulamento das piscinas, o livro de reclamações, as comissões de inquérito «fantasmas», as confusões, com laivos de ilegalidades, relativas às taxas de publicidade, etc., etc., etc.

Tudo isto sem eleitos da CDU na Câmara e na Assembleia Municipal. O que seria com eleitos?

In «Boletim CDU - nº 8» Julho 2009

                                                            

Graves dificuldades e problemas nas escolas no concelho de Cinfães

    A Direcção da Organização Regional de Viseu e a Comissão Concelhia de Cinfães do PCP participaram, hoje [5 de Maio], com o deputado Miguel Tiago, numa visita às Escolas Secundária e EB 2,3 de Cinfães, bem como às Escolas do 1º Ciclo de Souselo e de Colégio (Tarouquela), daquele concelho.

 

Nesta visita, o deputado do PCP, Miguel Tiago, pôde inteirar-se dos muitos e graves problemas que afectam a realidade educativa no concelho de Cinfães, de entre as quais, se destacam:

- As instalações degradadas em que funcionam as escolas EB1 de Colégio e Souselo (instalações envelhecidas e inadequadas, infiltração de humidades, salas exíguas, actividades escolares em contentores);

- As Actividades de Enriquecimento Curricular na Escola EB1 de Colégio, que funcionam em contentores, sem quaisquer condições;

- A falta de salas de aula para o funcionamento normal das actividades escolares na EB 2,3 de Cinfães e que obrigam ao funcionamento das actividades de enriquecimento curricular em horários e locais (por exemplo, a cantina) completamente inadequados. A propósito, lembramos que o Ministério das Finanças vendeu a um privado, recentemente, por 250.000 euros, com o total desinteresse da Câmara e do Ministério da Educação, a antiga Escola Preparatória de Cinfães, que, com obras de requalificação, poderia resolver este grave problema;

- A insuficiência orçamental para o adequado funcionamento da Escola Secundária de Cinfães (apesar de inaugurado, recentemente, um novo pavilhão, a escola mantém o mesmo orçamento de anos anteriores);

- O gimno-desportivo, da responsabilidade da Câmara Municipal de Cinfães, numa região especialmente fria no Inverno, não tem aquecimento;

- Os transportes escolares com horários inadequados e a funcionar em deficitárias condições de segurança;

- O ataque brutal aos direitos profissionais dos docentes com graves consequências no seu estatuto sócio-profissional, o que se torna ainda mais visível num concelho em que grande parte dos docentes se desloca, diariamente, muitos quilómetros, com grandes custos materiais;

- Por imposição do Governo, as escolas vêem-se obrigadas a manter em situação de precariedade laboral mais de metade dos seus auxiliares de acção educativa;

- O Governo não envia verbas para pagar os técnicos dos cursos profissionais, na Escola Secundária, desde Dezembro de 2007 e no Agrupamento de Escolas de Cinfães, quatro psicólogos não recebem já há algum tempo;

- O grave ataque à gestão democrática, com previsíveis consequências negativas na organização da vida daquelas escolas (Decreto Lei nº 75/2008, do Governo).

O deputado do PCP pôde ainda aperceber-se do estado de grave crise económico-social que se vive naquele concelho (elevada taxa de desemprego, altos níveis de pobreza, precariedade e emigração), com graves consequências na vida das crianças e jovens que frequentam as escolas, com reflexos na vida escolar, que constituem grandes causas de insucesso e abandono escolar, apesar do notório esforço dos Conselhos Executivos daquelas escolas/agrupamentos em organizar respostas sócio-educativas que ajudem a atenuar os efeitos perversos das políticas de direita, que sucessivos governos e, em particular, o actual, vêm conduzindo contra o interior do país, contra os trabalhadores e as populações.

O PCP irá, naturalmente, intervir, através do seu Grupo Parlamentar, na Assembleia da República, ou da sua acção política regional e nacional no sentido da resolução dos graves problemas encontrados, durante esta visita.

As populações, os Conselhos Executivos, os docentes, os outros trabalhadores dos agrupamentos e escolas de Cinfães podem contar com o PCP, numa luta constante pela mudança das políticas que conduza à resolução destes problemas, num quadro de efectivo apoio ao desenvolvimento desta região.

                                     

Viseu, 5 de Maio’08

A DOR Viseu do PCP
          

In Organização Regional de Viseu do Partido Comunista Português

                                              

Recuso-me a comentar! (I)

    Acabo de ver na RTP1 uma reportagem sobre Penalva do Castelo. Tema: o transporte escolar de crianças, nomeadamente do Jardim Infantil, sem vigilantes. Aborda-se de premeio o parque escolar do concelho. Entrevista-se o Presidente da Câmara, Leonídio Monteiro.

Em paralelo dizem-me que o Presidente da Câmara continua sem responder ao pedido de audiência feito pelo Presidente da Associação Bombeiros Voluntários (ver aqui, aqui e aqui). E já lá vão quatro meses!!!

 

Tudo isto é inqualificável do ponto de vista ético, moral e político. Recuso-me a comentar!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    K

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    W

    X

    Y

    Z

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D